BNI – Banco Nacional de Investimento

IMPRENSA

BNI expande-se

Ainda este ano representações em Gaza, Sofala, Tete e Nampula O Banco Nacional de investimento, deverá abrir, a breve trecho, representações na províncias de Gaza, Sofala, Tete e Nampula. Esta expansão é resultado do crescimento orgânico e operacional do Banco e visa responder de forma mais efectiva a demanda crescente sobre os produtos e serviços da instituição a nível nacional. O Presidente da Comissão Executiva, Dr. Tomás Matola, foi quem fez esta revelação no decurso dos trabalhos da XV Conferência Anual do Sector Privado, onde foi orador. Desafios e alternativas de financiamento ao sector privado A apresentação do BNI na CASP 2018 ,  foi inserida no painel “mecanismos de facilitação do financiamento ao sector privado” , tópico sobre o qual Tomás Matola fez questão de reiterar que o acesso ao financiamento  está entre os maiores constrangimentos ao desenvolvimento do sector privado em Moçambique e instou os agentes económicos, fundamentalmente ao nível  das pequenas e média empresas, a olharem para outras alternativas de financiamento adequado para este segmento nas condições actuais  do nosso tecido empresarial, ou seja, as alternativas ao financiamento tradicional, entre elas, citou o financiamento estruturado, o mercado de capitais, o capital de risco e o fundos de desenvolvimento e de garantia.
Tomas matola-Orador

Desafios a facilitação do acesso ao crédito
Especificamente no que tange aos desafios para a facilitação do acesso ao crédito o PCE, do BNI, enumerou uma série de ideias cuja implementação pode resultar num acesso mais facilitado ao crédito por parte dos agentes económicos, sobretudo aqueles de pequena e média dimensão.  Dentre as iniciativas com esse potencial, citou a dinamização do mercado de capitais, a criação de mais sociedades de capital de risco, o estímulo ao desenvolvimento de derivados financeiros especialmente para cobertura da taxa de juro e da taxa de câmbio, o estabelecimento de centrais privadas de registo de crédito, o estabelecimento de incubadoras de negócios e unidades de transformação do sector informal em formal e a intensificação de programas de literacia financeira.

 

Governo deve assegurar estabilidade política e macroeconómica 
Sobre o papel do Governo nos desafios  de facilitação do acesso ao crédito, Tomás Matola afirmou que a estabilidade política e a estabilidade macroeconómica, devem ser asseguradas pois elas são decisivas na redução do risco político e na melhoria do rating de crédito soberano, o que poderá, por seu turno, reduzir os custos de financiamento das instituições financeiras no mercado internacional.

Tomas Matola-Orador2
Acompanhe a apresentação do Presidente na XV Conferência Anual do Sector Privado-CASP
Facebook 0
LinkedIn 0
Google+ 0
Twitter